domingo, maio 12, 2013

ELENA E AS MINHAS HISTÓRIAS

POR MOISÉS BASÍLIO


Uma história puxa a outra. Semana passada o filme documentário Elena foi lançado em S. Paulo. Ouvi de orelhada os comentários gerais do filme no rádio do carro. Li também a manchete na página cultural do jornal que leio diariamente.  Depois minha filha Luanda comentou de passagem sobre o filme quando nos encontramos na piscina do Corinthians. Fiquei com o filme na cabeça. 

Com uma leve ideia do seria o filme fui ao cinema assisti-lo, assim que apareceu a oportunidade. Conforme o documentário ia passando na tela, a história contada pela diretora Petra Costa foi se misturando com as minhas histórias.  

Tem filme que tem essa capacidade de nos levar para dentro dele. Sempre fico em dúvida se é mérito do filme ou se é um mero acaso da história do filme se misturar com elementos da história de vida de quem está assistindo. 

Depois de ver o filme descobri que a diretora Petra Costa tem a mesma idade da minha filha, ambas nasceram em julho de 1983, anos finais da ditadura civil/militar brasileira. As duas são filhas de famílias de militantes políticos que lutaram contra a ditadura. A história que Petra Costa narra no documentário ecoa como a voz de uma geração depois da minha. 

O documentário é totalmente autobiográfico. A diretora não se furta em contar a sua história que é o desafio de encontrar um elo perdido de sua vida. Ao fazer o filme Petra Costa desvela um mito e se expõem publicamente, ou melhor, divide seu mito conosco. 

O filme de Petra Costa nos fala de perdas e de faltas doloridas. Repor o que foi perdido e e preencher o espaço da falta é o desafio que o viver nos impõe. Se não conseguimos, só nos resta o suicídio.

O suicídio foi um tema filosófico muito forte para a juventude dos anos 70 e 80. A história de Elena é uma história que partilhei com vários amigos e que vivi intensamente com um grande amigo, o Fábio, que também se suicidou em fins dos anos 80 encerrando uma vida de grandes embates políticos, afetivos e existenciais. 

Até hoje a perda e a falta do Fábio me questionam. Em qual esquina da vida meu amigo perdeu a esperança?
____________________________

Ficha técnica: fonte: http://www.itaucinemas.com.br/filme/elena 
Diretor: Petra Costa; Gênero: Documentário; Ano de produção 2012; Produção: Brasil; Distribuição: Espaço Filmes; Classificação Indicativa: 12 anos; Duração: 82 min Elenco: Elena Andrade
Sinopse: Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar. Deixa Petra, a irmã de sete anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas. Filmes caseiros, recortes de jornal, um diário. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos. E acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir. 

4 comentários:

Anônimo disse...

Vou assistir ao filme para conferir se tuas dicas batem.
Axé.

Anônimo disse...

Caros,

Realmente é um bom filme.

Abraços.

Carlos

PedrO MonteirO disse...

Perfeito, Moisés!
Abraços

PedrO MonteirO disse...

Perfeito, Moisés!
Abraços